ICB realiza mesa redonda sobre ciência e educação
No dia 23 de outubro, acontece no ICB a mesa redonda “Ciência para/na educação”, organizada pela Comissão de Cultura e Extensão (CCEx-ICB). A mesa será realizada das 14h às 17h, no Anfiteatro Rosa do ICB IV, e será moderada pelo Prof. Dr. Erney Camargo.
Leia mais
Unesco premia brasileiro por estudos sobre leishmaniose e malária
A Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura, Unesco, divulgou nesta segunda-feira os vencedores 2015 do Prêmio Pesquisas em Ciências da Vida. O professor brasileiro Manoel Barral-Netto é um dos premiados, por seus estudos sobre leishmaniose e malária.
Leia mais
Estudos dos mecanismos de reparo do DNA recebem o Nobel de Química
Agência FAPESP – “Há muitos mecanismos de reparação. Penso que, ao premiar pesquisadores que estudaram três mecanismos diferentes, a Academia Sueca procurou contemplar a área como um todo”, disse à Agência FAPESP o pesquisador Carlos Frederico Menck, professor titular do ICB-USP.
Leia mais
Laboratório da USP pesquisa sistemas neurais envolvidos no medo
AUN-USP- Diferentes tipos de medo são processados de maneiras distintas no cérebro, segundo estudo do grupo de pesquisa "Bases neurais do medo e da agressão", do Instituto de Ciências Biomédicas (ICB) da USP, coordenado pelo professor Newton Canteras.
Leia mais
Ministério da Cultura aprova livro sobre a história do ICB-USP
O Ministério da Cultura, na Lei de Incentivo à Cultura - Lei Rouanet, aprovou o projeto do livro Instituto de Ciências Biomédicas - USP: Memórias, Contexto e Perspectiva (Pronac 154483).
Leia mais
Excesso de iodo na gestação e lactação pode causar hipotireoidismo na prol

CONCURSO DE IMAGENS

 

Inscrições: de 25/07 a 23/09/2016

Veja o edital e a ficha de inscrição.



ESPERANÇA CONTRA O ZIKA

 

Depois que pesquisadores da Bahia confirmaram a presença do zika no Nordeste há um ano, o vírus avançou para quase todo o país. Pegos de surpresa, os pesquisadores e autoridades de saúde tiveram de se mobilizar e direcionar esforços para conhecer o vírus e buscar formas de detê-lo. Os primeiros resultados começam a aparecer e são promissores.

 

Ao longo de junho, vieram a público resultados de estudos importantes que ajudam a compreender as reações que o vírus desperta no sistema de defesa em uma situação de especial interesse para a população brasileira: os casos em que o zika infecta pessoas que já entraram em contato com alguma das quatro variedades do vírus da dengue (90% das pessoas já tiveram dengue em certas áreas do Nordeste). Publicado na revista Nature Immunology por pesquisadores da Inglaterra, da França, da Polinésia e da Tailândia, esse trabalho confirma que os anticorpos que protegem da dengue também atuam contra o vírus zika – é o que os imunologistas chamam de reação cruzada –, mas não são capazes de neutralizá-lo completamente. O que se verificou para o zika em relação aos anticorpos contra a dengue também pode ocorrer com a dengue em relação aos anticorpos antizika.



Assine o Estadão All Digital + Impresso todos os dias
Siga @Estadao no Twitter

::: Leia mais